sábado, 12 de novembro de 2016

Greves, ocupações, assaltos à mão armada - Realidades de uma universidade pública

Noite tranquila de sexta-feira, 11/11, véspera de feriadão, o Reitor da UFSJ Sérgio Augusto Cerqueira, acompanhado de alguns colegas de trabalho, seguia a tradicional rotina da vida acadêmica em São João del-Rei: descontrair numa mesa de restaurante depois de uma semana de batente. Mal sabia ele, que naquele exato momento, a sua universidade estava sendo invadida por indivíduos armados, que renderam a vigilância do Campus Dom Bosco, colocando 40 alunos reféns, assaltando à todos, incluindo um elaborado arrombamento de caixa eletrônico que levou horas para ser aberto pelos bandidos."


Ainda sob o clima de greve geral das três categorias da UFSJ: estudantes, técnicos e professores, de um assalto recente no Campus CTAN, esta madrugada de terror vivida no Campus Dom Bosco, por mais de 40 pessoas, ameaça a aparente tranquilidade da direção da UFSJ.

A comunidade da pequena e pacata cidade de São João del Rei está ficando assustada com estes episódios de violência.

Sobre estes dois episódios recentes a Assessoria de Comunicação da UFSJ publicou em sua página oficial os seguintes esclarecimentos que reproduzimos a seguir:

NOTA DE ESCLARECIMENTO
Publicada em 12/11/2016 Fonte: ASCOM

"A Reitoria da Universidade Federal de São João del-Rei vem a público esclarecer as comunidades acadêmica e externa sobre o assalto ocorrido na madrugada deste sábado, 11 de novembro, no Campus Dom Bosco. Nove assaltantes fortemente armados arrombaram o caixa eletrônico do Banco do Brasil situado naquele Campus, depois de render a vigilância e se apossar de seus uniformes, fazendo-a refém, juntamente com 40 alunos hospedados no Dom Bosco em razão de congresso de Psicologia que ali se realizava. Também ficaram retidos um estudante da UFSJ que monitorava sua pesquisa no Departamento de Ciências Naturais e o motorista da van que transportava os estudantes presos.

 A Polícia Militar suspeita tratar-se de quadrilha especializada nesse tipo de assalto, não só pelas armas que portavam, mas também pelas atitudes e procedimentos durante a ocorrência. Os reféns ouviram os criminosos dizer que viajaram 700 km até chegar ao Campus Dom Bosco. As estatísticas de assaltos a caixas eletrônicos são expressivas no Estado de Minas Gerais, e vêm se disseminando por cidades do interior. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública, de janeiro a meados de julho deste ano foram violados pelo menos 91 caixas eletrônicos, média de um ataque a cada 2,1 dias.

Todos os reféns passam bem, e a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis está em contato com as vítimas para oferecer apoio e disponibilizou o telefone (35)99812 8948 para para estudantes que precisarem. A Reitoria informa que está em negociação com as instituições bancárias para que anos sejam tomadas visando evitar esse tipo de crime dentro dos campi."

  Esclarecimentos sobre assalto ocorrido no CTAN
Publicada em 09/11/2016 Fonte: ASCOM


"A Universidade Federal de São João del-Rei comunica que, a respeito do assalto ocorrido segunda-feira (7), à noite, no Campus Tancredo Neves, está tomando providências para apurar o ocorrido, reforçar a segurança e prestar atendimento às estudantes. O Reitor Sérgio Cerqueira esteve no local com os responsáveis pela segurança da Universidade e duas das três estudantes vítimas do assalto, acompanhando presencialmente as medidas tomadas. A Polícia Militar foi acionada imediatamente por um canal de comunicação exclusivo da vigilância da UFSJ, fruto da parceria firmada pela Universidade com a instituição policial. A PM rapidamente chegou ao local e iniciou as buscas, identificando os supostos autores em posse de uma réplica de arma longa, conforme relatado pelas vítimas. A Polícia continua com as diligências para tentar recuperar os pertences das vítimas. Há uma equipe designada para esse fim, de acordo com as informações do Comando da Polícia.

Prevenção

A UFSJ confia no trabalho da Polícia Militar e entende, também, que é preciso reforçar continuamente o trabalho de prevenção dentro dos campi, para garantir que os espaços frequentados por nossos alunos, técnicos, professores, funcionários terceirizados e comunidade externa não sejam tomados por um clima de insegurança.

Algumas medidas já foram tomadas, como o aumento da iluminação e o reforço no controle de áreas de acesso aos campi, com a presença de maior número de vigilantes em horários específicos, identificados por estudos feitos pela Divisão responsável. Outras mudanças pretendidas, como instalação de novas câmeras, dependem de recursos financeiros para executar os projetos em andamento. 

 Representantes da Reitoria têm conversado com as comunidades acadêmica e externa para garantir a segurança dentro dos campi, num momento em que as instituições de ensino superior federais vivem sérias restrições orçamentárias. 

Atendimento

A Pró-Reitoria de Assistência Estudantil (Proae) e as estudantes têm reunião marcada com a assistente social da UFSJ nesta quinta-feira, 10. O objetivo é encaminhar as alunas para os atendimentos específicos que se façam necessários."

3 comentários:

  1. Comparar a greve e a ocupação nado UFSJ contra a PEC 241 ou 55 ao assalto armado ê um despropósito... ou um desrespeito aos que lutam pela educação pública, gratuita, universal e de qualidade. Somos todos por "nenhum direito a menos"!

    ResponderExcluir
  2. Filha da puta!! Morre pro inferno bandidos vagabundos!!

    ResponderExcluir